ARTIGOS EM DESTAQUE

ARTIGOS EM DESTAQUE...

quinta-feira, 6 de abril de 2017

QUANDO USAR "TUDO" E QUANDO USAR "TODO" EM PORTUGUÊS?

Version en Français   Versione in Italiano   English Version   Versión en Español


Image (Hope) by Hollywata (CC BY 2.0)
Todo o tempo eu recebo dúvidas sobre "TUDO" e "TODO". Tudo o que eu posso fazer é tentar escrever este artigo. Talvez este artigo não tire todas as suas dúvidas. Em todo o caso, não deixe de ler este artigo todo...



Eu sei! Eu sei! A introdução acima foi realmente um trocadilho sem graça, não é? Mas eu prometo melhorar! Na semana passada, eu tive uma conversa com o Killian (que é da Irlanda) e a Lucía (que é da Espanha). Estes dois amigos estudam português e foi um prazer conhecê-los. Nessa conversa, uma coisa me chamou a atenção... Veja algumas das frases que eles me disseram:

  • "Eu vou às aulas de português tudo dia." [ERRADO]
  • "Tuda comida brasileira é boa." [ERRADO]
  • "Eu não consegui entender todo." [ERRADO]

  • A conversa foi interessante porque tanto o Killian quanto a Lucía me disseram que achavam que essas frases estavam erradas, mas eles não estavam seguros sobre qual seria a forma correta. E você? Saberia dizer qual é a forma correta para as frases acima?


    O primeiro passo sempre está no dicionário...

    Antes de tudo, temos que conhecer muito bem o que "TUDO" e "TODO" significam. Para isso, vamos ver a tabela abaixo:

    TUDO TODO
    O QUE É?
    É sempre um pronome indefinido. E nunca vai ter variações, você sempre vai escrever e dizer "TUDO". É interessante notar que o contrário de "TUDO" é "NADA".

    COMO POSSO TRADUZIR?
    Inglês: everything, all, anything.
    Espanhol: todo
    Francês: tout
    Italiano: tutto, ogni cosa

    PRINCIPAIS IDEIAS:
    1) A totalidade do que existe. Todas as coisas.
    2) Todas as coisas dentro de um conjunto.
    O QUE É?
    Pode ser um pronome indefinido, pode ser um adjetivo e pode ser um substantivo. Vamos ver que ele tem variações: "TODO", "TODOS", "TODA", "TODAS".

    COMO POSSO TRADUZIR?
    Inglês: the whole, totality, all, whole, complete, every, any
    Espanhol: todo, entero, completo, total, cada
    Francês: tout, tous, toutes
    Italiano: tutto, tutti, ogni, intero

    PRINCIPAIS IDEIAS:
    1) Como pronome indefinido: Qualquer
    2) Como adjetivo: Inteiro, íntegro, completo
    3) Como substantivo: Generalidade, Conjunto


    Quando devo usar "TUDO"?

    Viu como é bom dedicar um tempinho à gramática? Agora você já sabe que "TUDO" é um pronome indefinido, sabe que "TUDO" significa "todas as coisas" e sabe que "TUDO" é invariável. Com essas informações, você já sabe que não existem frases do tipo:

  • "tudas as coisas" [ERRADO]
  • "Eu li tudos os livros." [ERRADO]
  • "Tudos os alunos responderam." [ERRADO]

  • Sabe explicar por que essas frases acima estão erradas e soam muito estranhas? Isso mesmo! Primeiro, "TUDO" não tem variação. Então, não existe "tudos", não existe "tudas" e nem existe "tuda". Outra coisa, "TUDO" significa "todas as coisas dentro de um conjunto". Então, se eu disser "Eu li tudo os livros", estarei fazendo uma repetição. É como se eu dissesse "Eu li todos os livros os livros." e isso não faz sentido;

    Muito bem! Agora que já sabemos como não usar o "TUDO", vamos ver exemplos de como usá-lo corretamente:

    Evitando repetição:
  • "Paulo, você leu todos os livros?"
    "Sim, eu li tudo."
  • "Você acha que a Marcela vai conseguir passar nas provas e nas atividades?"
    "Claro! Ela vai passar em tudo."

  • Combinando com outros pronomes indefinidos:
  • Você lembra o que aconteceu no parque? Tudo aquilo foi muito estranho.
  • Ô Carla, tudo isto é seu?

  • Indicando a totalidade do que existe:
  • Nestas eleições, tudo pode acontecer.
  • Você acha que uma bomba atômica pode destruir tudo?

  • Indicando a totalidade do que existe em um conjunto:
  • Nestas eleições, tudo o que está dentro da lei pode acontecer.
  • Uma bomba atômica pode destruir tudo nesta cidade.


  • Quando devo usar "TODO"?

    Na hora de usar "TODO", temos que prestar um pouco mais de atenção. Tudo isso porque existem as variações, e queremos usar tudo de uma maneira bem bonita. (Há! Viu como agora podemos usar o "TUDO" sem medo hein?)

    Então, agora vamos relembrar das possibilidades que temos para usar "TODO":


    Quando "TODO" é sinônimo de "INTEIRO", "COMPLETO":

    Geralmente, a palavra "TODO" tem a ideia de "TOTALIDADE" ("INTEIRO", "COMPLETO"). E nestes casos, temos que usar um artigo para acompanhá-lo e sempre vamos usar a forma singular. Vejamos alguns exemplos:

  • Durante todo o dia, conversaram sobre o mesmo assunto.
  • Em todo o mundo se fazem festas.
  • A cidade toda se comoveu com aquela história.

  • Você notou que podemos usar o artigo antes ou depois do substantivo? Veja os exemplos:

  • Durante todo o dia, conversaram sobre o mesmo assunto.
  • Durante o dia todo, conversaram sobre o mesmo assunto.
  • Em todo o mundo se fazem festas.
  • No mundo todo se fazem festas. (lembre-se que "EM" + "O" = "NO")
  • Toda a cidade se comoveu com aquela história.
  • A cidade toda se comoveu com aquela história.

  • Dentro desta ideia, existe uma forma especial de usar "TODO" sem o artigo. É quando queremos ter a ideia de "INTEIRAMENTE", "COMPLETAMENTE". E, neste caso, podemos usar a forma no plural. Vejamos alguns exemplos:

  • Ela está toda preocupada.
  • Acabamos de ver as crianças todas chorosas.
  • Depois da chuva, ele ficou todo molhado.


  • Quando "TODO" é sinônimo de "QUALQUER" ou "CADA":

    No português do Brasil, existe uma forma de usar "TODO" para passar a ideia de "QUALQUER" ou "CADA". Acredito que você já conhece o famoso "todo dia" (que significa "every day" em inglês; "chaque jour" em francês; "ogni giorno" em italiano e "todos los días" em espanhol). Vejamos exemplos de frases:

  • Todo dia, ela faz tudo sempre igual.
  • Todo homem tem um preço.
  • Nem toda mulher gosta de maquiagem.
  • Toda pessoa precisa de bons alimentos.

  • NOTA:
    Esses exemplos acima somente são usados no Brasil. Mas existe outra forma de expressar essas ideias, que também é usada no Brasil e é única forma usada em Portugal e nos outros países que adotam o português europeu. Seria "todos os..." ou "todas as..." (sempre no plural). Vamos ver os exemplos:

  • Todos os dias, ela faz tudo sempre igual.
  • Todos os homens têm um preço.
  • Nem todas as mulheres gostam de maquiagem.
  • Todas as pessoas precisam de bons alimentos.


  • Quando "TODO" é um substantivo (sinônimo de "CONJUNTO"):

    Há uma situação em que "TODO" significa "O CONJUNTO" ou "A TOTALIDADE". Seguem exemplos:

  • "Há bolsões de desenvolvimento, mas o país como um todo é atrasado".
  • "Quando eu digo que não gostei da decoração da casa dela, não me refiro apenas aos móveis, mas ao todo."



    Este assunto é bem complexo. Existem mais casos especiais e outras considerações sobre as diferenças de uso no Brasil e em Portugal. Também há casos em que "TUDO" e "TODO" têm um significado diferente de acordo com uma expressão (como uma que eu usei no texto que acompanha a foto deste artigo)... Mas, espero que esse artigo tenha ajudado com as dúvidas mais comuns. Não esqueça de deixar o seu comentário!






  • 2 comentários:

    1. obrigado pela explicação, eu sei que existem tudo e todo, mas não é fácil de entender-los. O que é mais usado, tudo ou todo?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Teddy! "Tudo" e "Todo" têm significados diferentes. O uso vai depender da ideia que você quer expressar. Em breve, vou tentar escrever a versão em inglês deste artigo.

        Excluir